5 fatores para levar em consideração antes de comprar um imóvel na planta

2018-02-19

3 MIN. DE LEITURA

Comprar um imóvel na planta pode parecer uma excelente oportunidade, pois o valor é menor, a entrada também não é alta e no final você terá pago por um imóvel que estará bem mais valorizado quando estiver pronto.

No entanto, para que o sonho não se transforme em um pesadelo, é preciso levar em consideração alguns fatores. No artigo de hoje abordaremos os 5 principais. Confira!

1. Saiba que o valor final pode ser bem maior que o previsto

Antes de assinar o contrato e decidir comprar o imóvel na planta, você precisa estar ciente de que existe uma cláusula que indica a possibilidade de ocorrer um aumento do valor final. Esse aumento ocorre por conta do INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) e é usado para corrigir os contratos enquanto a obra ainda está em evolução.

Como você já deve saber, o máximo da renda que pode ser comprometida com um financiamento é de 30%. Caso você não leve em conta o reajuste anual, pode acabar tendo uma surpresa com um aumento que comprometa seu orçamento acima desse percentual e pode não conseguir pagar as outras parcelas.

2. Documente tudo

Durante as vendas, é comum que sejam distribuídos folhetos que falem muito bem do empreendimento e até contenham alguns diferenciais prometidos pelas construtoras. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, todas as publicidades podem ser usadas como prova e para cobrar o que não for cumprido.

Deste modo, guarde todo e qualquer documento, incluindo os folhetos, e deixe registrado os e-mails trocados com corretores. Ainda assim, a maior força vinculante é o contrato, por isso, tudo o que for prometido deve constar lá.

Você também precisa checar se o valor do imóvel inclui os “acessórios”. Em alguns contratos, os elevadores, equipamentos e até pisos, são cobrados a parte e não constam no memorial descritivo. Vale a pena questionar ao corretor exatamente pelo que está pagando.

É interessante avaliar o memorial de incorporação e, caso o corretor informe que a administradora não tem um, desconfie. De acordo com a Lei 4591/64, as incorporadoras precisam registrar no cartório de imóveis vários documentos. Entre eles estão comprovantes da propriedade do terreno, do cálculo exato da área do imóvel, da descrição do acabamento, entre outras características.

3. Colete informações sobre a construtora

Você compraria um bem durável de valor alto com um desconhecido? Certamente a resposta é não. O ideal é pesquisar a reputação da construtora. Para isso você pode usar a internet, além de ir até construções já finalizadas e conversar com síndicos e moradores.

Se houver reclamações relacionadas a atrasos, qualidade de materiais, irregularidades e problemas durante a obra, você deve ficar atento. Por mais que essa etapa seja trabalhosa, acredite, ela pode te salvar de grandes problemas.

4. Esteja preparado para os custos extras

Um grande equívoco é planejar o pagamento somente das parcelas do financiamento. Você precisa saber que existirão taxas cobradas na hora da entrega das chaves — e elas não são poucas. O ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) e todas as taxas do cartório podem custar quase 5% do valor do imóvel. Na prática isso significa que um imóvel de R$200.000 tem taxas de cerca de R$10.000 e você precisa estar preparado para pagá-las.

Tenha em mente que você ainda terá outros gastos como decoração, despesas com a mudança, condomínio e outros custos que podem surgir eventualmente. Para evitar surpresas, converse com um despachante para saber quanto vai gastar no momento da entrega das chaves e se programe antes que a data chegue.

5. Entenda que atrasos não são incomuns

Um fato que costuma deixar muitos compradores frustrados são os atrasos e, na verdade, eles não são nada incomuns. Para piorar, os custos adicionais acabam saindo do bolso de quem está comprando o imóvel e há uma cláusula padrão de tolerância de 180 dias.

Algumas administradoras ainda adicionam cláusulas que podem ser desfavoráveis para o cliente. São esses e outros aspectos que tornam o auxílio jurídico essencial durante a compra de um imóvel na planta.

Em outro artigo, falamos sobre os direitos dos clientes quando ocorre o atraso na entrega do imóvel. Leia e se informe!

Scroll to top